Instabilidade global do tornozelo: avaliação clínica e funcional com 26 meses de seguimento

  • J. Benjamin Jackson III
  • Scot Youngblood
  • Robert Anderson
  • Kent Ellington
  • Bruce Cohen
  • Carroll Jones
  • W. Hodges Davis
Palavras-chave: Instabilidade articular; Articulação do tornozelo/lesões; Ligamentos laterais do tornozelo/cirurgia; Ligamentos articulares/ cirurgia; Resultado do tratamento

Resumo

Objetivo: O entorse de tornozelo é uma lesão frequente que afeta 2,15 pessoas a cada 10 mil por ano. Entre as lesões esportivas mais comuns, ela representa 15 a 20%. Classicamente,ocorre lesão dos ligamentos laterais, no entanto, um subconjunto de pacientes apresenta acometimento dos complexos ligamentares medial e lateral, representando uma lesão mais grave. Neste estudo, apresentamos um grupo de pacientes com essa afecção, e avaliamos os resultados do tratamento cirúrgico e suas evoluções. Métodos: Foram analisados retrospectivamente, em forma de um estudo coorte, pacientes tratados pela reconstrução ligamentar medial e com no mínimo de 6 meses de procedimento cirúrgico. Os pacientes com reparo medial isolado ou associado com a reconstrução de pé plano valgo degenerativo foram excluídos. O acompanhamento foi feito com radiografia, um exame físico feito por um examinador cego e avaliação funcional. A estatística descritiva foi realizada a partir dos dados obtidos. Resultados: O tempo médio de seguimento foi de 26,4 meses (intervalo de 8 a 62 meses). No final do seguimento, 13 dos 14 pacientes estavam “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com a cirurgia. Doze realizariam o procedimento novamente, um não tinha certeza e um não faria. A média da Foot Function Index foi de 17% (zero a 62%). A pontuação média da American Orthopaedic Foot & Ankle Society (AOFAS) foi de 88,15 (66 a 100). Conclusão: Alguns pacientes com entorse do tornozelo apresentaram patologia nas faces medial e lateral do tornozelo, ou instabilidade global. Quando tratada cirurgicamente com reconstrução ligamentar medial e lateral, podemos esperar, na evolução a médio prazo, que esses pacientes apresentem resultados razoáveis, assim como que obtenham estabilidade clínica articular.Nível de evidência: Série de Casos IV.
Publicado
30-06-2015
Seção
Artigos Originais